Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Asteriscos e Parenteses

Queremos levá-lo a conhecer o Portugal dos pequenos recantos e paisagens esquecidas. Vá sempre em grupos reduzidos e acompanhado por quem conhece o terreno e os seus segredos.

Queremos levá-lo a conhecer o Portugal dos pequenos recantos e paisagens esquecidas. Vá sempre em grupos reduzidos e acompanhado por quem conhece o terreno e os seus segredos.

Sustentabilidade tem de ser o pilar de destinos turísticos alternativos

 

id.jpg

 

A "Declaração sobre Destinos Culturais Sustentáveis Sem Fronteiras", produzida pela rede Aldeias Históricas de Portugal e pelo Instituto de Turismo Responsável, defende que a sustentabilidade tem de ser o pilar de destinos turísticos alternativos.

O documento, divulgado hoje , reúne as conclusões da cimeira internacional "Destinos Culturais Sustentáveis Sem Fronteiras", que decorreu em novembro, em Idanha-a-Nova, e defende a sustentabilidade em destinos turísticos não massificados, como é o caso da rede das Aldeias Históricas de Portugal.

A declaração defende que a atividade turística nestes territórios tem de funcionar como "um aliado na conservação das suas paisagens culturais e como garante da preservação do património cultural e da sua autenticidade".

"O turismo tem que se tornar num vetor para fortalecer as comunidades locais, ao aumentar o orgulho de pertença ao território e aos seus valores, e não uma indústria estandardizada, exógena em relação ao destino", defendem as entidades.

O turismo nesses destinos deve também recorrer aos bens e serviços locais, por forma a aumentar os seus laços à comunidade, sendo necessário criar soluções inovadoras para melhorar a eficiência de recursos, num contexto de economia circular.

Nas recomendações finais da declaração, é proposta a criação de uma rede internacional de destinos alternativos, assim como a implementação de um sistema de partilha das boas práticas entre estes territórios, permitindo replicar soluções "viáveis e criativas".

No documento, é ainda recomendada a promoção de rotas interpretativas nacionais e transfronteiriças, o envolvimento sustentável das comunidades locais no turismo e a consciencialização para medidas de gestão que garantam que estes destinos não se tornem alvo de processos de gentrificação.

Feira de Caça leva a Idanha-a-Nova 100 expositores portugueses e espanhóis

i.jpg

 

A quinta edição da Feira de Caça e Gastronomia de Idanha-a-Nova, que decorre entre sexta-feira e domingo, em Termas de Monfortinho, conta com uma centena de expositores portugueses e espanhóis, foi hoje anunciado.

"O concelho de Idanha-a-Nova tem mais de cem zonas de caça e uma área ordenada de cerca de 140 mil hectares, o que realça a importância que este setor tem para a região e para o país", explicou o presidente deste município do distrito de Castelo Branco.

Armindo Jacinto disse que o objetivo deste certame, que atrai anualmente centenas de espanhóis à localidade fronteiriça de Termas de Monfortinho, é dar visibilidade ao setor da caça e da gastronomia que lhe está aliada.

"Este é um setor [caça] muito importante para o concelho [Idanha-a-Nova] e para o país, quer ao nível da prática que deve ser feita de forma sustentável, quer para os setores que lhe estão associados, nomeadamente a gastronomia", frisou.

O autarca adiantou que durante os três dias do certame vai haver animação musical, concursos de gastronomia e de cães, tiro desportivo, exposições, entre outras iniciativas.

"Vai ainda ser apresentado o projeto que o Governo tem para o Centro de Competências de Caça, que estará em discussão", concluiu.

Boom Festival em Idanha-a-Nova

Foto de Idanha-a- Nova.jpe

 

 

O Boom Festival, que se realiza em Idanha-a-Nova, de 11 e 18 de agosto, criou 1.500 postos de trabalho, com os residentes locais a terem prioridade, anunciou a organização.

No staff constituído para a preparação e realização do evento de música, dança e artes circenses, entre outras, estão cerca de 30 nacionalidades diferentes.

Privilegiamos sobretudo pessoas que residem na região, sendo que, pelo facto de sermos um evento internacional, temos de recrutar pessoas de todo o mundo", sublinha Artur Mendes, da organização, em comunicado.

O responsável adianta ainda que num concelho em que o número de residentes empregados é de cerca de 2.580 e o de pensionistas 4.490, a que se soma uma taxa de desemprego de cerca de 15,9%, o impacto económico do festival português começa por ser percetível no número de postos de trabalho criados na região.

"A empatia com a população e as entidades locais, a beleza natural e o património de Idanha-a-Nova levaram-nos a sediar a empresa neste concelho em 2009. Com isso, trouxemos recursos humanos altamente qualificados para o interior, contribuindo não só para a economia local, como para o próprio combate à desertificação", sustenta.

A comemorar este ano 19 anos de existência, o Boom Festival implementou-se em Idanha-a-Nova há 14, onde atualmente possui a Herdade da Granja, uma propriedade com 150 hectares situada na margem da albufeira Marechal Carmona.

Desde essa altura, o festival português, além de projetar internacionalmente a região, tem tido um impacto económico significativo no município de Idanha-a-Nova, onde a capacidade das instalações hoteleiras locais está esgotada para o período do Boom Festival.

 

ÓBIDOS E IDANHA-A-NOVA EM PEQUIM

Pequim.jpe

 

 

Óbidos e Idanha-a-Nova, as duas cidades criativas reconhecidas pela UNESCO na zona centro do país, participam na cimeira mundial de Pequim onde acordarão uma programação conjunta no âmbito dos respetivos festivais de literatura e de música.

Sendo as duas únicas cidades criativas [em Portugal] e ambas localizadas na região centro do país consideramos interessante desenvolver uma estratégia conjunta de promoção e enriquecimentos dos programas culturais”, disse à Lusa a vereadora da Cultura da câmara de Óbidos, Celeste Afonso.

A ideia é criar uma programação comum com eventos produzidos no âmbito do Festival Fora do Lugar (realizado em Idanha-a-Nova e dedicado à música antiga) e do Fólio (Festival de literatura de Óbidos).

A par, “haverá lugar a novas iniciativas, como por exemplo, residências literárias, de âmbito nacional, a realizar em Idanha e outras, no campo da música, a realizar em Óbidos”, explicou a vereadora.

A parceria vai ser definida durante a segunda Cimeira Mundial das Cidades Criativas da UNESCO, que decorre em Pequim, República Popular da China, entre segunda e quarta feira, sob o tema "Rede de Cidades Criativas da UNESCO: uma alavanca para o desenvolvimento urbano sustentável “.

A definição do programa conjunto decorrerá à margem da participação de Celeste Afonso num painel sobre “a integração da cultura e da criatividade na formulação de políticas para o desenvolvimento urbano sustentável”, e de Paulo Longo, do município de Idanha, num painel sobre “O papel da Rede de Cidades Criativas da UNESCO no apoio à Agenda de Desenvolvimento Sustentável 2030”.

Esta é a terceira apresentação da estratégia cultural de Óbidos, como vila literária, em termos internacionais, depois de a semana passada Celeste Afonso ter participado, em Dublin (Irlanda) no maior encontro mundial da rede de Cidades Criativas da Literatura da UNESCO.

O encontro de três dias serviu para partilhar projetos e ideias para dinamizar a programação cultural da rede literária mundial, tendo, segundo Celeste Afonso, “o FOLIO, um dos grandes capítulos do projeto Óbidos-Vila Literária, sido reconhecido como um bom exemplo do grande impacto e relevância que estes eventos têm para a promoção da cultura a nível global”.

O FOLIO – Festival Literário Internacional de Óbidos, que decorre de 22 de Setembro a 2 de outubro, “foi considerado um bom exemplo de intercâmbio de autores e parcerias entre livreiros que deve ser potenciado de forma a levar a cultura e o cruzamento das artes a mais pessoas”, acrescentou a vereadora.

No encontro participaram 17 representantes das 20 cidades que integram a rede de Cidades Criativas da Literatura da UNESCO, Óbidos, nomeadamente, para além de Óbidos: Edimburgo (Escócia), Barcelona e Navarra (Espanha), Heidelberg (Alemanha), Cracóvia (Polónia), Iowa (EUA), Ljubljana (Eslóvenia), Lviv (Ucrânia), Melbourne (Austrália), Norwich e Nottingham (Reino Unido), Praga, (República Checa), Reiquiavique (Islândia), Tartu (Estónia), Ulyanovsk (Rússia) Dublin (Irlanda).

Anteriormente o exemplo de Óbidos esteve em foco em Barcelona, durante a Festa de S. Jorge, onde foi assinalado o Dia Mundial do Livro a 23 de Abril.



Se quiser vir conhecer Óbidos ou Idanha-a-Nova sem ter se preocupar com a condução, com a marcação dos restaurantes ou do hotel onde ficar pode sempre escrever para o email asteriscoseparenteses@gmail.com ou contactar pelo telefone 919113211. A Asteriscos & Parênteses trata de tudo para que desfrute em pleno a sua visita.

Visite-nos no Facebook em http://asteriscoseparenteses.blogs.sapo.pt/

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em destaque no SAPO Blogs
pub