Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Asteriscos e Parenteses

Queremos levá-lo a conhecer o Portugal dos pequenos recantos e paisagens esquecidas. Vá sempre em grupos reduzidos e acompanhado por quem conhece o terreno e os seus segredos.

Queremos levá-lo a conhecer o Portugal dos pequenos recantos e paisagens esquecidas. Vá sempre em grupos reduzidos e acompanhado por quem conhece o terreno e os seus segredos.

Guardiões da Serra da Estrela exigem medidas para reduzir resíduos deixados pela Volta

se.jpg

Os Guardiões da Serra da Estrela exigem à organização da Volta a Portugal em Bicicleta que sejam tomadas medidas para solucionar a questão dos resíduos resultantes da passagem da prova naquela área protegida.

"A Associação Guardiões da Serra da Estrela defende e exige que para esta prova, assim como para qualquer outro evento desportivo, ou de outra natureza, com impacto direto no Parque Natural da Serra da Estrela, a questão dos resíduos produzidos pelos organizadores, promotores, parceiros e espetadores seja resolvida de um modo eficiente e imediato, de forma que o impacto destes eventos no ambiente e nas atividades económicas futuras (nomeadamente o turismo) se traduza única e exclusivamente em aspetos positivos para as populações locais", lê-se na carta aberta  divulgada por esta associação que tem sede na Covilhã, distrito de Castelo Branco.

Ressalvando que a bicicleta é um transporte amigo do ambiente e que a prova é recebida com grande satisfação pelas populações locais, os Guardiões da Serra da Estrela também manifestam preocupação pelo lixo e resíduos que ficam no território com a passagem da prova e para os quais é "absolutamente necessário dar um destino conveniente", principalmente quando estão em causa zonas do Parque Natural da Serra da Estrela.

Removidos 150 quilogramas de materiais poluentes da Ria Formosa

cul.jpg

Três baterias com um total de cerca de 150 quilogramas, submersas perto do cais de embarque da ilha da Culatra, em Faro, foram hoje removidas no âmbito da campanha “Ria Formosa livre de plásticos”, disse a responsável pelo projeto.

Em declarações à  Lusa, Sandra Godinho, dirigente da Associação para o Estudo e Conservação dos Oceanos (aECO) e responsável pelo projeto, indicou que “foram precisas mais de duas horas para retirar o material poluente do fundo do mar, numa operação que contou com várias entidades”.

“Além dos voluntários da associação, participaram nas operações de resgate das baterias a Polícia Marítima, mergulhadores da Universidade do Algarve e pescadores”, adiantou.

As três baterias, com cerca de 50 quilogramas cada, “são idênticas às que são usadas para acumular energia dos painéis solares instalados nas embarcações, desconhecendo-se quem as ali terá deixado em plena Ria Formosa”, sublinhou Sandra Godinho.

Segundo Sandra Godinho, os equipamentos de grande porte, sinalizados há algum tempo pela Polícia Marítima e pelos pescadores que operam a partir do cais da Culatra, foram removidos e entregues às autoridades marítimas para “procederem às diligências necessárias que possam identificar o ou os autores deste crime ambiental e encaminhá-los para o sistema de gestão de resíduos”.

A ação de resgate dos materiais decorreu no âmbito da campanha “Ria Formosa livre de plásticos”, com o apoio da European Outdoor Conservation Association, da Associação de Moradores e Amigos da Ilha da Culatra, da Universidade do Algarve e da Capitania do Porto de Olhão.

A associação aECO tem agendadas para o mês de julho várias atividades de limpeza ambiental, entre as quais a limpeza do porto de abrigo da ilha da Culatra, uma das ilhas-barreira da Ria Formosa, no distrito de Faro.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em destaque no SAPO Blogs
pub